JOANN SFAR, PELO EL PAÍS: "AFÁVEL E APARENTEMENTE TÍMIDO"


[NFN DIÁRIO #153]                                        * * *                                                [11/1/2013]

O quadrinista francês Joann Sfar organizou uma exposição, em Paris  sobre o cantor, compositor e igualmente francês George Brassens. O catálogo da exposição é MEIO quadrinizado -- e, diante do seu lançamento na Espanha, Borja Hermoso, do El País, entrevistou  Sfar.

Afável e aparentemente tímido, a pesar de ser uma estrela dos quadrinhos franceses e europeus (só a sua obra O gato do rabino vendeu 800.000 álbuns e faz tempo que superou de forma global o milhão de gibis, além de ter ganhado os prêmios César do cinema francês, um deles sobre o seu filme Gainsbourg, Vida Heroica , Joann Sfar recebe no piso de cima do Café de Flore, eterno reduto chique em Saint-Germain-des-Prés. Nas mesmas mesas onde Sartre e Simone de Beauvoir costumavam escrever cada manhã, Sfar despeja seus rotuladores, lápis, canetas tinteiro e cadernos e explica a gênese de sua aventura com Brassens: "Quando estudante, meu pai foi pianista em bares, cafés, restaurantes e bordéis de Argel, e o seu cantor favorito era Brassens; de fato, conheceu ele em pessoa, e isso, de alguma forma, ficou na lenda da família".

Nenhum comentário: