"TALVEZ ELE SEJA UMA HQ MAIS EXPERIMENTAL E ENORMEMENTE COMPLEXA QUE NÃO VAI TER UMA LINHA DE PENSAMENTO OU NARRATIVA DIRETA, LINEAR"


[NFN DIÁRIO #145]                                        * * *                                                [27/12/2012]

Tom Spurgeon, do The Comics Reporter, entrevistou Alison Bechdel [+], de Fun Home [lançada no Brasil pela Conrad com o encantador subtítulo de "Uma Tragicomédia em Família"] e Are You My Mother? [+]

Sobre esse último, que é deste ano que se acaba, Bechdel comentou:

SPURGEON: Are You My Mother? está construído de uma forma muito, muito complexa. Quando eu comecei a pensar no que me interessou na tua hq, é nessa conclusão que eu sempre chegava. Não sei como diabos você conseguiu agrupar tudo isso em termos práticos. Até mesmo na primeira parte, existem cinco grandes inícios, e qualquer um deles poderia ser suficiente para um livro inteiro. E você segue muitas linhas ao longo da história, e essa facilidade em se movimentar entre elas é muito impressionante de se ver. Como você fez para manter a coerência de todas essas linhas de pensamento que você usou?

BECHDEL: [ri] é mesmo um livro maluco. Eu tento procurar uma determinada página, e por um motivo ou outro, e eu não consigo nem encontrá-la. Não existe nenhuma ordem cronológica. O que é o princípio? O princípio é... [ri] Não posso nem te dizer isso, Tom. Foi meio interessante ao longo desse ano conversar com pessoas diferentes, de contextos diferentes, sobre o trabalho. No início, eu pensei "não consegui fazer que tudo fosse coerente aqui; esse gibi não faz sentido" [ri]. Mas estou me sentindo melhor com isso. Talvez ele seja uma hq mais experimental e enormemente complexa que não vai ter uma linha de pensamento ou narrativa direta, linear. E eu acho que isso está bom.

Nenhum comentário: