"NA OBRA DE WARE, JAMAIS ENCONTRARAM UM RESQUÍCIO DE CINISMO"

[NFN DIÁRIO #129]                                         * * *                                                   [4/12/2012]

César Estabiel, da revista Numero Cero, repassou a carreira de Chris Ware [+], do recém-lançado Building Stories [+].

Sobre Jimmy Corrigan, o menino mais esperto do mundo [+], Estabiel comentou:

Desenho minimalista, ritmo anárquico e, principalmente, uma contenção nos gestos que pressupõe um grande drama. A falta de empatia do personagem com o que ele vê ao seu redor funciona em proporção inversa à do leitor com o artista (detalhe: não chamem ele assim). Aconteceu com o desenhista: viveu toda a vida com a ausência de seu pai. Por isso, começou a se explicar por meio de Jimmy Corrigan, a criança com cara de velho que idealiza o que não teve. Até que um dia tocou o telefone... na vida real e no gibi. Era o seu pai. Trocaram umas palavras. Semanas depois, o ausente falecia de um ataque cardíaco.

Nenhum comentário: