FEAR AGENT: FICÇÃO CIENTÍFICA DA EC PELA VIA DE REMENDER, OPEÑA E TONY MOORE

[NFN DIÁRIO #143]                                        * * *                                                [24/12/2012]

Em 2005, Rick Remender [+], Jerome Opeña [+] e Tony Moore [+] lançaram pela Image Comics uma série de ficção científica, Fear Agent

Moore tinha recém saído de The Walking Dead [+], o que faz dele uma espécie de Stuart Sutcliffe do mundo dos gibis de zumbis. Remender e Opeña, por outro lado, hoje em dia CAVALGAM dois dos maiores lançamentos do Marvel NOW!, Uncanny Avengers [Remender é seu roteirista] e Avengers [Opeña é o desenhista].

Pois bem: toda essa introdução serviu para te apontar para uma série de três artigos [uma entrevistão com os autores, na verdade] que Ron Richards escreveu no iFanboy sobre Fear Agent. O pretexto é o lançamento da primeira edição de Fear Agent Library, primeira metade da reedição que a Dark Horse está lançado de toda a série.

O parto da ideia, conforme explicaram Reminder e Moore no primeiro artigo, deu-se da seguinte forma:

Rick Remender: Tony tinha recém acabado um trabalho, uma capa de ficção científica para um gibi, que tinha um cara em uma nave que caiu na lua lutando contra uns aliens pirados, e eu estava no meu escritório, olhando para gibis da EC, e nós estávamos conversando sobre a EC, e eu mesmo estava desenhando um monte de coisas de [Wally] Wood e Will Elder e esses caras naquela época. Olhar para Tony fazendo essas coisas me deixou pirado de tão empolgado, e eu fiquei, tipo "whoa. Ninguém está fazendo ficção científica agora mesmo!". Estava completamente seco, principalmente esse tipo de ficção científica pulp e maluca. 

HEI-LA.
Tony Moore: Era para a Rob Zombie’s Spookshow International, acho. Sim, tenho quase certeza que é essa capa da qual ele está falando. Ele me ligou e estava empolgado sobre o assunto. Nós começamos a meio que falar um monte de merda sobre a EC e eu não tinha tanta familiaridade com o material de ficção científica. Tinha muito mais familiaridade com as coisas de terror e de crime, mas na verdade não tinha mergulhado tão fundo nas coisas de ficção científica da EC. Nós começamos a chegar a essa conclusão juntos e jogamos algumas idéias... isso foi provavelmente ao longo de poucos de dias,  nós já conseguimos mais ou menos imaginar como seria Heath Huston. Foi um processo de concepção bastante rápido.

Na segunda parte, sobre a saída da Image e a chegada na Dark Horse:

Remender: Mais ou menos pela edição 10 ou 11, nós chegamos em um ponto no qual para manter Tony e Jerome e manter a série viva, precisávamos de uma mudança. Mike Richards [publisher da Dark Horse Comics] era um fã da série e algumas pessoas tinham comentado comigo o amor dele pelo que nós tínhamos feito. Então eu conversei com Mike e Dave Land [Editor da Dark Horse] e eles tinham tanta paixão pela série e gostavam tanto do que nós estávamos fazendo que, enquanto era algo necessário para manter a série viva, também foi uma boa casa para a série e encaixa muito bem lá. 

Nós montamos os dois primeiros encadernados lá, lançamos o terceiro arco, e então conseguimos que Eric Powell fizesse a capa para o Tales of the Fear Agent e meio que demos uma turbinada e um relançamento lá. Foi lá onde fizéssemos as 23 edições seguintes. 

A terceira se encerra com um MELHORES MOMENTOS. Remender falou da colorização:

Remender: Também teve aquele momento em que [Lee] Loughridge pirou na colorização. Ele encontrou um novo tipo de ciência que era como lamber uma bateria de 9-volt. Aquela edição foi maravilhosa. Odeio deixar de fora Michelle Madsen. Acho que não falamos sobre ela, mas ela colorizou todo a parte de Jerome. Acho que a colorização pode ser menosprezada, mas acho que ambos fizeram muito mais do que colorir imagens e fizeram coisas que muitas pessoas não reparam. Sim, a edição #22 foi incrível, e isso partiu da piração de Jerome. Toda aquela época da série era uma edição depois da outra. 

                  

Nenhum comentário: