"ESPERANDO O MOMENTO EM QUE O ANÃO DANÇARINO VAI APARECER"


[WWB #19]                                                      * * *                                                    [3/12/2012]

No mês passado foi o trailer; agora chegou a vez do THE REAL DEAL: o média-metragem Jimmy's End, de Alan Moore e Mitch Jenkins, foi lançado no Youtube, precisamente no canal de sua produtora. Você pode vê-lo aí em baixo, logo após o vídeo de seu prelúdio, Act of Faith, para que você não fique desprovido de contexto. 





Não devemos esperar que isso acabe por aqui: tudo fazendo parte de um projeto maior EM ANDAMENTO, ou ao menos foi isso que informou Érico Assis, do Omelete:

Os curtas fazem parte de um projeto maior e multimídia chamado The Show, que pode envolver longa-metragens e um seriado para TV. O tema, como o autor já descreveu, é “um escritor e ocultista de Northampton que tenta dominar os sonhos de toda a cidade, antes de estender seus domínios ao resto do país e, depois, ao mundo.”

Especificamente o lançamento de Jimmy's End foi divulgado em diversos lugares, em notas informativas desprovidas de comentários. Como eu estaria DEFRAUDANDO MEU DEVER MORAL ao apenas deixá-los diante do vídeo, te mando para o blogue de cultura do New York Times, o Arts Beat, onde Mike Hale honrou a sua profissão de CRÍTICO e escreveu uma mini-resenha:

Pelo lado bom, "Jimmy's End" [...] tem ambições altas para um filme lançado originalmente online. O roteiro do  Sr. Moore, que envia um homem grisalho, bem vestido e esgotado chamado Jimmy (Darrel D'Silva) a um lounge underground de pesadelo, é elíptico e repleto de ameaças languidas. E a música, uma reinvenção hipnótica do british-pop dos anos 50 e 60 feita pelos colaboradores do Sr. Moore Andrew Broder e Adam Drucker, é excelente -- é o verdadeiro motivo para se assistir o filme até o fim. 

“Jimmy’s End” como um todo não tem a mesma mágica que as músicas, no entanto. O surrealismo do music hall da metade do século, incluindo mulheres manchadas e vitimizadas e uma peça vaudeville assustadora chamada Metterton and Matchbright (Sr. Moore e Robert Goodman), é tão derivativo de Dennis Potter e David Lynch que é difícil levá-lo muito a sério -- você fica esperando o momento em que o anão dançarino vai aparecer.

E o roteiro do Sr. Moore, que quer ser sugestivo e assustador de um jeito noir, é principalmente apenas pretensioso, simultaneamente escuro e carregado.

Nenhum comentário: