CRUMB, PATRONO DO UNDERGROUND

[NFN DIÁRIO #128]                                         * * *                                                   [3/12/2012]


Gioia Palmieri, co-editora, junto com Everett Rand, da revista underground artê Mineshaft, escreveu um mini-texto contando como foi que eles conseguiram tornar Robert Crumb [+] um colaborador habitual de sua publicação. Aparentemente, foi fácil: 1] eles pediram; 2] ele começou a colaborar com a revista. 

O link te leva pro site da própria revista. Fica aí a LIÇÃO DE PERSEVERANÇA:

As pessoas frequentemente nos perguntam como a Mineshaft começou a trabalhar com Robert Crumb. Em 2000, Everett e eu morávamos em Guilford,  Vermont, onde nós começamos a publicar a Mineshaft em janeiro de 1999. Nós morávamos em uma pequena cabana de 5 metros por 5 metros e não tínhamos água corrente ou eletricidade. Fazíamos todo o trabalho de computador para a revista na biblioteca de Brattleboro na qual eu trabalhava. Aluguei um quarto escuro no qual podia ir a pé da biblioteca em um prédio velho de tijolos, perto do Common Ground Cooperative Restaurant, onde Everett trabalhava na época. Em algumas tardes, Everett alugava filmes que para assistir em um videocassete que estava na área do estúdio do quarto escuro enquanto eu revelava filmes ou imprimia fotos em preto e branco, e algumas vezes eu assistia com ele. Uma noite, ele alugou o filme CRUMB, que nós queríamos ver fazia um tempo. [...] Depois de assistir esse excelente filme dirigido por Terry Zwigoff, Everett se inspirou para escrever uma carta para R. Crumb, na qual ele incluiu uma cópia da Mineshaft #4, que na época era a edição mais recente. Uns dois meses passaram, e eu e Everett estávamos na nossa quase que diária caminhada em direção à caixa de correio [...]. Enquanto que Everett pegava as cartas, pude ver que ele estava emocionando segurando um envelope com uma escrita manual com a qual eu me tornaria familiar e que sempre é um prazer de se ver. Everett abriu o envelope e olhou dentro dele para ver um pacote de rascunhos e uma carta de R. Crumb! Nós corremos de volta para a cabana onde nos derramamos sobre aquele tesouro em desenhos.

Nenhum comentário: