"A IDEIA DE QUE EXISTEM HOMENS AMERICANOS BRANCOS DE MEIA IDADE ESCREVENDO HISTÓRIAS DE ROMANCE PARA GAROTAS DE DEZ ANOS ME PARECEU INTERESSANTE"


[NFN DIÁRIO #128]                                         * * *                                                   [3/12/2012]

Alex Dueben, no CBR, entrevistou Charles Burns [+]. O tema: The Hive [+], seu novo gibi. 

No outro dia, coloquei aqui um artigo sobre as referências a gibis de romance da década de 60 na história. Dueben fez a Burns uma pergunta sobre isso que é o equivalente educado de "de onde tu tirou essa p#rr@, meu?":

Gibis continuam aparecendo na hq, especialmente gibis de romance. Qual é a tua relação com gibis de romance? Esse é um gênero que te interessa?

Houve um período em que eu comecei a ir em lojas de quadrinhos e me dei conta que alguns dos gibis sobre os quais eu li nas histórias sobre quadrinhos estavam lá para serem vistos. A maior parte deles eu não podia comprar, mas alguns eu podia. Foi então que eu descobri os gibis de romance antigos, e descobri que existiam também gibis de romance muito baratos que eu podia comprar por quase nada, pelo menos naquela época. Me senti atraído pelos desenhos no início, e então pelas histórias. Tinha alguma coisa naquele tipo de histórias curtas que era muito repetitivo e interessante. A ideia de que existem homens americanos brancos de meia idade escrevendo histórias de romance para garotas de dez anos me pareceu interessante. Só pensar no que essas histórias são e o que essas histórias significam. Elas costumam ser repetitivas e costumam ter um esquema que você pode explicar de forma bastante fácil.

Quando eu era um estudante de arte e tinha amigos em bandas, tive uma namorada para a qual eu comprava gibis de romance. Comprava para ela gibis de romance da década de sessenta que era muito bregas, e nós olhávamos para eles. Algumas vezes, eu recortava eles e fazia colagens, usava eles em cartazes e impressos. Isso é parte das coisas pelas quais eu passei e é assim que isso especificamente encontrou uma forma de aparecer na história.

Nenhum comentário: