QUANDO AS TARTARUGAS DOMINAVAM O MUNDO


[NFN DIÁRIO #124]                                        * * *                                                  [27/11/2012]

Às vezes, o meu trabalho aqui no NFN DIÁRIO é bastante fácil: tome por exemplo esse artigo de Enrique Rios, no Zona Negativa. Ele é bom, e é sobre as Tartarugas Ninja, a sua origem como QUADRINHO PARÓDIA UNDERGROUND e o RUMO AO ESTRELATO. Não tem muito erro:

Apesar de alguns problemas no argumento, o certo é que a primeira edição de Teenage Mutant Ninja Turtles definiu o tom do que seria a série nos anos seguintes, que não tem nada a ver com o que imaginaríamos depois de assistir a primeira das séries animadas para a televisão. Para começar, a parte gráfica é muito escura. Os desenhos de Eastman e Laird costumam ser primitivos, mas com muita dinâmica (principalmente nas cenas de ação), mas com bastantes defeitos nas expressões dos humanos. Isso não é algo ruim por si só porque qualquer desenhista, no início de carreira, comete esse tipo de erros, mas não deixa de ser estranho se comparamos os desenhos desses autores com a perfeição mostrada pelas sucessivas séries de televisão. Outra das grandes diferenças entre o gibi e a série de animação é encontrada na colorização. Pensada no início para ser publicada em preto e branco, Teenage Mutant Ninja Turtles não diferencia entre as tartarugas pela cor de suas máscaras, de forma que em determinados momentos é quase impossível saber quem é quem. O tratamento dos personagens também não ajuda muito, já que todas as tartarugas parecem ter saído da mesma forma...

No que se refere ao roteiro... Teenage Mutant Ninja Turtles nasceu como uma paródia e não pode ser levada muito a sério em determinados momentos. Desde logo, não é um gibi infantil. As histórias tratam sobre um rato monstruoso de mais de um metro de altura que cuida de quatro tartarugas monstruosas treinadas na arte de matar. O melhor amigo das tartarugas é um rapaz que passeia pelas ruas escondendo o seu rosto com uma máscara de hockey, um fato que lembra o psicopata assassino protagonista da saga Sexta-Feira 13... Os vilões são seres mais monstruosos que os protagonistas: desde robôs assassinos a alienígenas assassinos, passando por mutantes assassinos e por qualquer outra coisa na qual os criadores das tartarugas pudessem pensar. Em definitiva, a maioria dos ingredientes de Teenage Mutant Ninja Turtles correspondem às séries e filmes de terror (por momentos, de ficção científica), muito embora o toque ninja dos heróis de meio casco. Dado o tratamento do roteirista, o resultado se aproxima mais de um gibi de ação do que um de terror, mas jamais de um gibi infantil (ainda que em determinados momentos tenha detalhes infantis).

Nenhum comentário: