[NFN#117] Santiago Garcia, do Mandorla, foi ao Brooklyn Comics and Graphics Festival [BCGF] e voltou com um RELATO. Esse poster do evento aí do lado é de Chris Ware.

Digo isso para ressaltar que o BCGF tem um ambiente muito informal e espontâneo, quase familiar, e que ao seu lado inclusive um festival pequeno como a SPX parece ficar maior. Mas que ninguém pense que isso significa que o BCGF tem pouco interesse profissional ou pouca repercussão. A mistura de autores de mini-quadrinhos nas mesas e de autores consagrados nas sessões de assinaturas ou nas palestras é de primeiro nível, graças, sem dúvida, à localização do festival que permite contar com a presença oficial ou não de grandes nomes que vivem em Nova Iorque ou na redondeza. Por ali passaram Art Spiegelman, Chris Ware, Richard McGuire, David Mazzucchelli, Ben Katchor, Adrian Tomine, Anders Nilsen, Charles Burns e Josh Simmons, entre outros, além de muitos dos autores que mais me interessam no novo quadrinho americano: Pat Aulisio, Tom Kaczynski, Malachi Ward, Ben Marra, Tim Hensley, Lale Westvind, Box Brown, Gabrielle Bell, Julia Wertz, William Cardini e vários outros. Além disso, o BCGF tem vocação internacional e contava com convidados europeus, como os franceses Rubert e Mulot (que apresentavam o seu primeiro lançamento em inglês), seus compatriotas Nine Antico e Blexbolex (Nobrow, de novo, teve uma das mesas mais assedias do lugar, como na SPX) ou o belga Olivier Schrauwen, que além de ter publicado nos Estados Unidos o seu magnífico O homem que deixou crescer a barba [The Man Who Grew His Beard, na edição americana], também tinha para vender um curioso panfleto sobre abduções publicado por Desert Island.

Nenhum comentário: