MEMÓRIA#10: TERRY GILLIAM SOBRE HARVEY KURTZMAN



* * *

Harvey Kurtzman é o quadrinista mais influente, no que ao deboche se refere, do pós-guerra. Isso seria uma bravata genérica se não fosse por três motivos: a revista Mad, da qual Kurtzman é fundador; Crumb, de quem é uma das principais influências [e você só precisa ter olhos para constatar isso]; e porque é o que Terry Gilliam, do Monty Phyton, diz, o que já deveria ser o suficiente para ti.

Nesse artigo, publicado no The Telegraph em 10/7/2009, Gilliam descreve a sua relação com Kurtzman, de PATRÃO [na primeira metade da década de 60, na revista Help!, publicada pela editora Warren] a LOCADOR e PROFESSOR DECEPCIONADO -- Kurtzman nunca sacou a graça de Monty Python’s Flying Circus, o que deve ter alguma explicação FREUDISTA, talvez relacionada ao fato dele não ser exatamente um poço de otimismo:

Quando eu me formei na universidade, realmente não sabia o que ia fazer. Mas escrevi para Harvey e disse "vou para Nova Iorque. Adoraria aparecer aí e te conhecer". E ele me escreveu de volta, dizendo "Não adianta, garoto. Aqui não tem trabalho, não tem nada, é um lugar difícil".

Nenhum comentário: